Viajando no tempo

Sim.

Essa semana foi fogo. Deidimos arrumar a calçada de casa.

Durante os últimos dez anos nossa calçada foi a mais feia da rua.

Originalmente, em 1997, meu pai havia feito o que chamamos de “calçada ecológica”. É uma calçada comum, mas em vez de ser toda em concreto, tem uma faixa central com grama.

Mas isto em 1997. Com o tempo, ela foi se deterionando. Aliás, deterioraram ela. Teve um caminhão que subiu em cima dela, destruindo metade. Aí veio a prefeitura colocar os encanamentos do esgoto. Outra metade. Aí o resto ficou como estava. Resto?

E ficou assim durante anos.

“Porque vocês não arrumam esta calçada?”. Odiava este tipo de pergunta.

Mas, eis que, depois de 11 anos, decidimos dar um jeito nela. Na verdade isto começou já faz uns meses, pois estava impossível de o carro entrar na garagem. Era barro e mato.

Mas até agora só a parte onde passa o carro. O resto continuava quebrado.

Então meu pai arrumou o muro da frente. Já estava caindo.

A calçada. Ai Ai. A calçada.

Decidimos continuar com a idéia da calçada ecológica. Além de mais bonito, é lei e gasta menos material.

Mas estava horrível.

A criançada brincando na rua. Bets. Um jogo onde há duas garrafas e dois times de dois, onde o objetivo é derrubar a garrafa para ter direito à rebater. Ganha quem rebater mais longe para fazer mais pontos. É muito provável que você conheça, mas talvez por outro nome.

Aff, agora é limpar todo aquele mato. As duas bandas a gente já havia feito. Só faltava a parte central.

Aliás, havíamos terminado a outra banda. Como era de manhã, decidi que ia fazer aquilo logo. Peguei a enxada e uma outra ferramenta que não lembro o nome. Mas era para cavar mais fácil.

Naquele dia acordamos às 8:00 para fazer a calçada. Às 13:00 já tinhamos terminado. Meu pai foi fazer o almoço e eu fui assistir Liga da Justiça. Depois na Rede Record, com “Todo Mundo Odeia o Chris”. Desde que entrei de férias não perco um episódio ;-)

Agora sim. Meu pai já havia tomado banho. Eu ainda não. Vamos la fora então arrancar aquele mato.

A molecadinha coloca as garrafas e vai jogar. E eu lá, arrancando mato, sendo mordido por formigas e tirando cerca de 20cm de terra numa área de 7×1,5 metros.

E perdem a bolinha. Param de jogar.

Eu entro em casa e pego uma bolinha que tenho lá. Na verdade eu tenho várias, e já perdi umas dez jogando bets.

“Aí, pega essa bolinha. Pode ficar com vocês”

E eles voltam a jogar. Uma destas bolinhas de tênis. Marca Wilson, em tubos. É que os antigos patrões da minha mãe jogavam tênis, e as bolinhas que não usavam mais minha mãe pegava ;-)

E passa o tempo. Eu lá “capinando” a calçada. O povo jogando bets. Como é verão, chove à toda hora. Mas no verão tomar chuva é gostoso. Mesmo quando se está no meio da terra, que, quando molhada, vira barro.

E quando terminei, já devia ser umas sete ou oito horas. Mas ainda estava claro.

Aí, no dia seguinte – ontem – fiz uns detalhes na calçada, deixando a área onde vai ficar a grama com os cantos arredondados. E todos olham estranho aquilo. Só porque aquela que foi a mais feia da rua durante dez anos será a mais original a partir de agora? hehe

(…)

E minha mão… Minha mão cheia de bolhas. Umas sete, ao todo. Mas dói somente na hora.

Tente fazer isso também. Você, que passa o dia inteiro na frente de um computador, tente um dia fazer algo diferente. Nem que tenha que encher a mão de bolhas para isso ;-)

(…)

Extra! Extra! Descobri uma máquina do tempo!

Eis que ligo meu computador hoje, dia 19 de janeiro de 2008. Aperto o botão. Depois da contagem da memória, vem um aviso. “Blá, blá, blá. Aperte F1 para continuar”.

Abro o thunderbird para checar meus e-mails, e me deparo com esta mensagem:

Thunderbird

Como brasileiro não tem a mania de ler as coisas, cliquei em OK logo. Tudo normal.

Aí depois reparo numa coisa.

Isso:

Relógio do sistema

E isso:

Relógio do KDE

E olha só que engraçado. Meu computador voltou para 2002! Eu nem sabia que ele existia em 2002!

Passei a pensar o que eu fazia em primeiro de janeiro de 2002. Tinha… 14 anos. Provavelmente estava estudando no PA ainda. Na oitava série do ensino fundamental? Mas não me lembro de mais que isso.

Ah, deixa de besteira. É só a bateria da CMOS que descarregou.

Segunda-feira eu passo numa eletrônica e compro uma. Mas que a vida é dura, isso é.

(…)

Aff, agora a molecadinha da rua vem toda hora em casa me encher o saco por causa da bolinha. É que, quando eu dei a bolinha para eles, disse “Peguem para vocês”. Não especifiquei quem ficaria com ela. E um deles pegou a bolinh, não deixando os outros brincarem.

“Ah, não posso fazer nada. Eu dei ela pra vocês. Agora se resolvam”

E não sei se resolveram. Mas aí não é problema meu.

Crianças…

Anúncios

Comente

Required fields are marked *

*
*

%d blogueiros gostam disto: