Hey, tire seu traseiro gordo deste endereço e cheque meu novo blog! http://leandro.setefaces.org

http://leandro.setefaces.org

É. Demorou, mas as coisas parecem estar caminhando agora.

Como eu havia dito há um tempo (OMG! quase dois anos atrás!), em http://leandrosan.wordpress.com/2009/08/31/com-que-hospedagem-eu-vou/, arrumei um espacinho para uma nova versão deste blog.

A ideia do novo blog é a mesma deste daqui: coisas técnicas, coisas diarinho, coisas idiotas. Mais do mesmo.

Não anotou?

http://leandro.setefaces.org

Tá na hora de matar este blog

É. É isso. Este blog está morrendo. Estou migrando para um serviço fora do wordpress.com, que é um serviço excelente, mas que sinto que não está servindo para meus “propósitos maiores”.

Mas em síntese vai continuar como está.

Posto mais notícias em breve.

Ninguém hoje mais tem paciência

Houve um tempo em que HD era lento. Sim, o acesso ao disco é muito lento e deve, portanto, ser evitado. Nestes casos deve-se usar a memória sempre que possível.

Depois apareceu alguém e disse que memória RAM era lenta. Vc deve sempre que possível usar os caches do processador.

Depois vem nego e diz que, embora cache seja rápido, os registradores do processador são mais rápidos ainda e que cache deve ser evitada.

Quero ver daqui a pouco nego dizer que registrador é lento… hauahau

Esse pessoal da computação não se contenta com nada, hein…

Sim, isso é papo de compiladores. Alocação de registradores é algo chato.

Ferramentas de desenvolvimento fodas desta semana: git e CMake

git é foda!!!!

hauahaua

Sei lá, para quem é acostumado a coisas centralizadas como o Subversion (svn), o git à primeira vista parece confuso. Mas não é não.

Está certo que estou mexendo com ele há pouco tempo, bem menos que com o subversion, mas já pude ver como o git é útil e versátil.

A lógica dele é um pouco mais complexa (não é só dar commit, mas também merges e pushs), mas depois que vc entende as coisas ficam mais fáceis.

Outra ferramenta extremamente interessante é o CMake. Trata-se de uma ferramenta para automatizar compilações de programas. É uma excelente alternativa ao autotools, também chamado de autohell, tamanha é a “gambiarra” da coisa.

O CMake permite que vc separe o diretório do código com o diretório onde o sistema será compilado. Isso resolve muitos problemas que vira e mexe aparece com o autotools.

Com o CMake é muito fácil automatizar a criação de bibliotecas estáticas e dinâmicas, de programas divididos em muitos arquivos, dentre outros. É tão bom que todo o projeto KDE SC atualmente o utiliza como ferramenta de compilação.

Ele é rápido e direto ao ponto. Sem enrolação.

Ah sim, minha IDE atualmente é o KDevelop4, que tem, em minha opinião, o melhor editor para C++ para Linux. Foi o suporte ao CMake do KDevelop que fez eu me interessar pelo CMake, mas atualmente já estou escrevendo os CMakeLists.txt na mão.

Todas estas ferramentas são livres e gratuitas. Se tem um lugar onde um desenvolvedor pode se sentir completo (do ponto de vista de desenvolvedor, claro) é o Linux. Na verdade qualquer Unix (desde OS X até os BSDs). Pois ainda não entendo como podem alguns desenvolvedores depender de ferramentas proprietárias. E pagar fortunas por isso!

Este foi meu desabafo nerd de hoje :-)

Oficialmente desempregado e mais perdido que tudo

Não que alguma vez já tivesse sido empregado, mas o contrato da minha bolsa no Programa Segundo Tempo terminou e eu optei por não renová-lo. Já estava lá desde o início do ano passado e, embora não houvesse nada que me impedisse de continuar, decidi buscar “novos horizontes”;

Atualmente estou me envolvendo com uma empresa que o Rômulo e alguns colegas estão abrindo (ela está “incubada” na Incubadora Tecnológica de Maringá), num projeto em C++ para captura de vídeos de radares eletrônicos.

Enfim, estou atrás de um emprego de verdade no momento. Ou ao menos deveria. Passei hoje o dia dando uma olhada em vagas na área de TI aqui na cidade de Maringá. Ou batendo a cabeça na parede, de forma quase literal.

Deveria ter saído hoje “entregando currículos”, se é que este termo ainda existe, e procurando vagas de estágio ou algo do gênero. Particularmente estou meio de saco cheio de estágios, sei lá por que razão. Acho que eu preciso mesmo é de um emprego de verdade.

Mas olhando mais à frente percebi que não tenho a mínima aptidão para nenhuma vaga que tenho visto. Simplesmente tenho a sensação de não saber nada.

Também sou bem chato e espero um dia levar uma patada da vida, pois estou procurando algo que não seja período integral, pois estudo a noite e, como não estou indo lá muito bem na faculdade mesmo sem estar trabalhando (e admito que isso na verdade ajuda a aumentar o desânimo frente aos anos de faculdade que já fiz e aos que tenho pela frente), trabalhar em tempo integral só ajudaria a piorar as coisas. Há pessoas que conseguem levar um curso noturno e um emprego em tempo integral na boa. Eu admito que não consigo. Talvez até embarque num emprego em tempo integral por um tempo para ver como fica.

Também há o fato de Maringá ser uma região onde as empresas de tecnologia são extremamente ligadas à tecnologias proprietárias (todo mundo aqui quer ser um parceiro Microsoft), e eu, nas entrevistas que faço, tenho a mania de ser sincero demais e dizer que não me sinto bem ao trabalhar com tecnologias e ferramentas proprietárias (no caso, Delphi/VB/ASP/.NET/Flex/Flash), o que me leva normalmente a ser removido da lista de candidatos no momento da entrevista.

Assim tenho duas alternativas: embarcar de vez no mercado de Maringá e largar de frescura, ou aguentar firme até o final do curso (com os populares bicos) e zarpar de Maringá procurando melhores condições de trabalho. Mas tenho outro problema que é minha aversão por megalópoles, como São Paulo e Rio de Janeiro, o que reduz em muito minhas chances profissionais.

O que busco é algo que eu possa trabalhar realmente em equipe, pois se tem uma coisa que desanima (eu sei como é) é trabalhar sem conseguir se comunicar, ter olhares mais ou menos parecidos. Uma equipe onde as pessoas realmente gostem do que façam, não desenvolvam só por obrigação e, principalmente, que estejam abertos à novas ideias e tecnologias. Busco uma utopia, admito.

Ah sim, e meio fora do tema, estamos criando um grupo de usuários/desenvolvedores/colaboradores/entusiastas de tecnologias Open Source/Software Livre em Maringá. Por enquanto não está tudo muito bem definido, mas quando a coisa estiver melhor estruturada, posto mais notícias sobre.

Mas por enquanto permaneço aqui batendo a cabeça na parede.

Instalei o gentoo no PC ancião!

Putz, nem sei pq fizeram a instalação do gentoo ser tão chata… O kernel que compilei não foi nem a pauladas e tive que usar um “huge” importado do Slack.

Mas não é que o negócio roda mesmo rapidinho? E olha que o pc tem quase 10 anos!

Se eu me adaptar instalo no notebook.

Diversão e trabalho nerd

Acabo de instalar, após alguns dias de luta, o Ubuntu 10.04 num PC de quase dez anos de idade.

É um AMD Atlhon 1,2GHz com 512MB de RAM (aquelas SDRAM em slot DIMM) e um HD IDE de 20GB!

O bicho tá rodando bem pra caramba :-)

Ah sim, isso não significa que eu não tenho mais nada o que fazer. Como não tenho monitor, tô usando ele remotamente do meu notebook, só instalando os programas que precisarei quando for usá-lo (e tiver um monitor).

Enquanto isso, espero o servidor do meu projeto ficar acessível para eu poder trabalhar, pq tem um pessoal de Recife (a várias centenas de quilômetros daqui) esperando que eu faça umas correções no sistema que coloquei no ar semana passada.

Usuário reclama de tudo. Aff :-(

O mosquito do cocô do cavalo do bandido

O Firefox foi o primeiro grande navegador a suportar extensões.

Eu estava dando uma olhada aqui, e vi que algumas extensões do Firefox têm suas próprias extensões. Usa o Firebug? Pois no site do Firebug você encontra extensões como o FirePHP e o Chromebug.

Não sei, achei um fato interessante.

O que você está esperando que ainda não se inscreveu no FLISOL Maringá?

O que? Não ficou sabendo do FLISOL Maringá? Mora aqui na região da Cidade Canção?

Pare tudo que está fazendo e vai lá fazer a inscrição, gratuita, somente no site:

http://www.din.uem.br/flisol

Talvez, se se inscrever neste exato momento, você ainda consiga participar :-)

Não questione as decisões do senhor!

Muito bom este vídeo. “Mas as mulheres são só 50% da população mundial” é hilário.

Fonte: http://alexrnbr.wordpress.com/2010/03/07/questionar-com-humor/

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.